Conheça as obras e projetos de infraestrutura do Estado

A área de infraestrutura tem recebido uma atenção especial do Governo do Estado. São diversas obras que vão desde a elaboração de um Plano de Desenvolvimento Econômico, passando pela construção de estradas, até projetos de melhorias para infraestrutura aérea. Todas com o objetivo de viabilizar investimentos e gerar emprego e renda no Piauí.

O Piauí vive um dos momentos mais prósperos de sua história e isso só é possível graças aos inúmeros empreendimentos e projetos de infraestrutura que visam atrair cada vez mais investimentos para o Estado. Conheça:

Rodovias

  • O Transporte Rodoviário é utilizado por todos os setores que movem a economia do Estado, como a indústria, a agricultura e o comércio. O Governo do Piauí, através da recuperação, sinalização e, principalmente, da construção de novas estradas, está trabalhando forte para dar vazão à produção local, que é cada vez mais crescente.
  • Até julho de 2013, foram mais de 3 mil km de pavimentação asfáltica inaugurados. Marca que superou meta prevista para 2014.

Transcerrados

  • A Transcerrados é a maior intervenção rodoviária já executada no Estado e interligará a região dos Cerrados piauiense. A obra vai proporcionar aos agricultores, especialmente aos da região Sul do Piauí, melhores condições de escoamento da produção, além da diminuição dos gastos com logística e transporte.
  • Somente na primeira etapa, o Governo do Estado está investindo mais de R$ 118 milhões para a execução da obra. Os trabalhos seguem em ritmo acelerado e a Transcerrados deve ser entregue ainda no primeiro semestre de 2014.

Rodoanel de Teresina

  • A maior obra de mobilidade urbana de Teresina, o Rodoanel reduzirá em 15 quilômetros as saídas Sul (BR 316) e Norte (BR 343) da cidade, além de tirar de circulação cerca de cinco mil veículos da zona urbana da capital. Os investimentos na obra são da ordem de R$ 80 milhões, oriundos do Governo do Estado, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).
  • A obra conta com 28 quilômetros de pista dupla, dois viadutos e uma ponte. O Governo também anunciou projeto para implantação de um ramal Oeste, que deverá reduzir o fluxo de veículos pesados que seguem em direção ao Maranhão e melhorar a logística de transportes. Também será construído um viaduto no entroncamento do ramal com a BR 316.

Rodoanel de Parnaíba

  • O Rodoanel de Parnaíba, com investimentos de aproximadamente R$ 5 milhões, já está em construção e vai melhorar a mobilidade urbana na maior cidade do litoral, dando fluidez ao trânsito, retirando caminhões e carretas de dentro de áreas movimentadas como o Centro.

Transnordestina

  • A construção da Transnordestina é considerada uma das principais ações na infraestrutura do país e será um marco para o desenvolvimento econômico do Estado. A obra vai interligar os sistemas ferroviários dos estados do Piauí, Ceará e Maranhão, numa extensão total de 1.728 quilômetros. O empreendimento contempla também a instalação de terminais portuários de exportação de granéis sólidos, implantados estrategicamente próximos aos principais mercados consumidores e em portos capazes de operar com navios Cape Size. Isso garantirá maior competitividade ao negócio.
  • A ferrovia terá dois pátios de manobras no Estado, com previsão de conclusão para 2014. Atualmente, o empreendimento movimenta frentes de serviço nos municípios de Betânia do Piauí, Bela Vista do Piauí, São Francisco de Assis, Campo Alegre do Fidalgo, Curral Novo do Piauí e Nova Santa Rita, áreas atendidas pelo lote de Paulistana.

Porto de Luís Correia

  • O caráter estratégico do porto de Luís Correia se dá no escoamento da produção de grãos e, futuramente, minérios, por exemplo, além de todo o trade logístico que está sendo erguido em suas proximidades. Exemplos são a Zona de Processamento de Exportações de Parnaíba e as ferrovias previstas para o Piauí dentro do plano de expansão das ferrovias do Governo Federal, como a que liga Teresina a Luís Correia.
  • O Porto de Luís Correia será construído como porto de cabotagem (transporte feito por navios nacionais entre portos de um mesmo país). O novo projeto está em uma lista com 14 equipamentos portuários marítimos que têm recursos garantidos pelo Programa de Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), do Governo Federal, para obras de dragagem, aprofundamento e adequação da navegabilidade nos canais de acesso. Os recursos para a conclusão do Porto já estão assegurados.

ZPE de Parnaíba

  • O Piauí será o primeiro estado brasileiro a instalar uma Zona de Processamento de Exportações – áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados fora do país, por isso consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro.
  • As obras seguem em ritmo acelerado e a primeira etapa, que envolveu a construção de prédio administrativo, guarita e cerca perimetral, já está concluída. Os recursos da segunda etapa também já estão assegurados: serão R$ 12 milhões destinados à construção do auditório, restaurante, galpões industriais, urbanização, infraestrutura viária, pátio para containers, guarita para controle de entrada e saída de pedestres, prédio da receita federal, galpão principal de armazenagem, estacionamento, instalação de rede elétrica e abastecimento d’água.

Porto Seco

  • O Polo Industrial Sul, localizado em Teresina, deve receber, em 2014, o Porto Seco, que transformará a capital piauiense num entreposto comercial, onde serão priorizadas a comercialização do ferro, do aço, das máquinas e motores agrícolas, entre outras mercadorias.
  • Além de diminuir em até 90 dias a chegada de produtos no Piauí, o Porto Seco de Teresina também reduzirá os custos das transações, bem como aumentar o recolhimento de impostos.
  • O Governo do Estado já assegurou, ao todo, R$ 15 milhões para realizar os primeiros investimentos, que inclui a construção dos armazéns. Além de Teresina, projetos para implantação de Porto Seco em Picos e Floriano estão sendo elaborados.

Infraestrutura aérea

  • O Ministério da Aviação Civil autorizou, em agosto de 2013, a ampliação do aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, e a construção de novo aeroporto na capital do Estado. Além disso, o Aeroporto Internacional Serra da Capivara está entrando em sua fase final, com previsão de entrega até o início de 2014. O Governo também negocia com empresas áreas para oferecer vôos no Aeroporto Internacional Dr. João Silva Filho, em Parnaíba.

Plano de Desenvolvimento Econômico e Sustentável no Piauí (PDES)

  • O Governo do Estado iniciou a elaboração do Plano de Desenvolvimento Econômico e Sustentável no Piauí (PDES), que irá traçar as estratégias para promover o desenvolvimento do Estado do Piauí para os próximos 50 anos.
  • O Plano terá como foco nove segmentos da economia estadual. A partir desses nove itens serão detalhadas potencialidades e oportunidades nos 11 territórios de desenvolvimento do Estado. Dentre esses setores devem constar: agronegócio, indústria, serviços, minérios e energia renovável.
  • Além de diagnóstico, o PDE conterá diretrizes para a viabilização de investimentos e avaliação de impactos, avaliação de macros-tendências do investimento produtivo e em infraestrutura, painel dos projetos estratégicos, mapas de áreas adequadas à produção de bens e serviços de áreas de proteção ambiental.